quinta-feira, 27 de novembro de 2014

OPERAÇÃO: POLICIAIS CIVIS E MILITARES ENCONTRARAM MATERIAIS SEM PROCEDÊNCIA ESCLARECIDAS

Por Clóvis Gonçalves

Hylux totalmente destruída/fotos cedidas
Os policiais civis da Delegacia Territorial (DT) de Irará e policiais militares da 5ª  CIA também de Irará receberam na desta quinta-feira (27/11) informações através de denuncia vinda do município de Morro do Chapéu na Bahia, Junei Felisberto de Jesus havia se envolvido em um capotamento de veículo modelo camioneta Hilux de cor prata com placas policial não anotadas da cidade de Maranhão. No curso das investigações pelos policiais da cidade de Morro do Chapéu ficou apurado que a placa que estava sendo usada na Hilux pertencia a outro carro, na seqüência da investigação e depois da consulta ao banco de dados do sistema da polícia ficou constatado no veículo tinha restrição de roubo em Irará,Junei sofreu apenas escoriações, e uma luxação em dos pés.
Materiais e veículos apreendidos por policiais
Os policiais de Irará foram informados que na residência de familiares de Junei Felisberto que fica localizada na fazenda Tapera Melão, zona rural de Irará havia outros veículos e algumas peças pertencentes  a outros carros, lá os policiais encontraram um veículo FIAT/Strada de cor branca placas policial OKM 4260 licença do estado de São Paulo, há inclusive suspeita por parte da polícia que este carro tenha sido roubado na cidade de Arací na Bahia e pertencente a empresa GS Informática que também teve um carro FIAT/Strada  modelo Pickp roubada com vários equipamentos como duas escadas, cinto IPI (segurança) vários aparelhos roteadores para uso em Internet, um rolo de bobina com cabo usado em instalação para telefone e internet, dois equipamentos de fazer leitura biométrica (chupa cabra),várias ferramentas, esses materiais foram encontrados depois que os investigadores da delegacia territorial de Irará fizeram uma minuciosa varredura no veículo Strada que foi apresentado  pela manha na delegacia, pois da operação que culminou com apreensão dos demais materiais.
Tambores contendo gasolina
Um para-choque de gol geração 5, uma espingarda de fabricação caseira, três macacos hidráulicos, uma bobina com cabo de telefone, dois pares de suspensão dianteiro, três tambores contendo 250 litros de gasolina. Foram conduzidos para a delegacia Territorial de Irará prestar esclarecimentos Ademar Felisberto e Carlos André de Jesus, pai e filho respectivamente, sobre a procedência desta quantidade de peças de carro e equipamentos e ferramentas, os materiais para uso exclusivo em telefonia e internet que estavam  dentro de uma sacola de cor preta de propriedade da empresa de telefonia GS informática. que foi encontrado pelos policiais em uma casa que fica no terreno de propriedade de Ademar Felisberto. Segundo informações da policia as investigações seguirão para esclarecer as origens desta grande quantidade de materiais.
Outra parte do material encontrado dentro da FIAT/STRADA



quarta-feira, 26 de novembro de 2014

ALUNOS DO "P S C F V " REALIZAM A PRIMEIRA FEIRA DE ARTESANATO

Por Clóvis Gonçalves
Na Praça da Purificação dos Campos centro da cidade de Irará nesta terça-feira (26/11) foi realizada a primeira Feira de Artesanatos do Programa Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo. A Coordenadora do programa Aline Cerqueira informou ao repórter da rádio Irará FM Clóvis Gonçalves que existe 240 adolescentes inscritos no programa que é mantido pelo governo federal, funciona em tempo integral, os alunos matriculados no programa frequentam em turno oposto a escola regular.
Aline Cerqueira disse ainda que o programa ligado a Secretaria Municipal de Ação Social que vem desenvolvendo várias atividades com crianças e adolescentes nas faixa etária entre 7 a 17 e também idosos a partir de 60 anos, a coordenadora Aline Cerqueira informou para o nossa reportagem que  o objetivo é manter essas crianças e adolescentes no programa,para que possam fortalecer os vínculos afetivos com os seus familiares e contribuir para que eles venham atuar na sociedade vivendo plenamente aquilo que são passados durante as atividades  que eles tem no programa.
Segundo  coordenadora desde o mês de junho deste ano (2014) que os alunos vem desenvolvendo essas  atividades, e a turma de 14 a 17 anos durante este período vem trabalhando com produtos recicláveis e também o biscuit, os produtos confeccionados por eles além da realização da feira, também com o objetivo de vender, a arrecadação será divido para a realização de algum evento de forma coletiva, por exemplo uma festa ou uma excursão, claro que a depender do quanto for angariado através das vendas desses produtos nesta primeira feira de artesanatos.

Aline Cerqueira destacou que o intuito é que todos os anos posam realizar outras feiras e vender todos os materiais produzidos, além de expor os produtos para a venda,algumas peças foram levadas para as casas dos alunos como forma de estimular e mostrar aos familiares o que eles estavam produzindo, isso contribui muito para elevar a alto estimas desses alunos além é claro de estarem participando de um programa de cunho social, que sejam trazidas para a vida pessoal tudo que aprenderam no programa,temos exemplos de ex alunos que já estão trabalhando nas suas residências com esses materiais portanto gerando renda, o programa oferta aos jovens a régua e o compasso do futuro,finalizou a coordenadora Aline Cerqueira.         





ENTREVISTA: REPRESENTANTE DA ONU NO BRASIL EM VISITA A IRARÁ

Por Clóvis Gonçalves

Quando em visita ao município de Irará na manha de terça-feira (25/) Daniel Balaban representante do Centro de Desenvolvimento de Excelência da ONU no Brasil veio junto com as delegações dos países que integram os continentes africano, Camarões e Zimbábue, o asiático o país de Laus, a Itália que está situado no continente europeu,  no continente americano está os Estado Unidos.

Os países desses continentes vieram com o objetivo de conhecer no município de Irará a produção dos produtos oriundos  e que compõe a agrícola familiar, para lhes servir de experiência em seus países de origem, a ONU considera que o ano de 2014 está havendo uma redução da fome no mundo,isso só está sendo possível graças a contribuição dos programas da agricultura familiar.

Clóvis Gonçalves - Para a ONU o que representa deste encontro destes países em Irará?

Daniel Balaban - Este encontro é muito importante porque estamos com três delegações de países deferentes do mundo, que estão aqui visitando a nossa Bahia, e decidimos trazê-los a Irará para ver um pouquinho das experiências do povo e da administração em termo de educação, e também a produção de produtos dos pequenos produtores familiares, e que eles possam levar um pouco destas experiências brasileira para os seus países, nós as vezes achamos que o Brasil não tem nada a mostra, o Brasil tem muito para mostra, em Irará,está sendo exemplo para outros países do mundo.

Clóvis Gonçalves - O ano de 2014 significa um ano muito importante para a ONU?

Daniel Balaban - Sim, porque é o ano da agricultura familiar, é importante mostrar que os agricultores familiares são também muito importantes para o desenvolvimento local, desses países, se nós tivermos pessoas produzindo comida, se tivermos menos pessoas produzindo comida, também vamos ter menos pessoas que não possam ter o que comer, o bom é ter comida no prato, precisamos é estimular os pequenos produtores rurais para eles possam produzir produtos que vão ser consumido pela população.

Clóvis Gonçalves - Para a ONU a agricultura familiar deu um suporte muito importante por está contribuindo com a redução da fome no mundo?

Daniel Balaban - A agricultura familiar está sendo muito importante nesta redução da fome no mundo, isso porque o Brasil hoje já não faz mais parte do mapa da fome, não existe mais fome crômica no Brasil, isso aconteceu porque houve o estimulo a produção dos pequenos agricultores familiares que tem produzido cada vez mais, também as políticas sociais do governo  tem feito com as famílias tenham acesso aos alimentos, isso é muito relevante, é importante a unificação entre  a produção consumo  dos produtos das famílias,todos bem alimentados,é  o bom para o país, para o município e para as pessoas.

Clóvis Gonçalves - No continente africano agricultura familiar não deslancha como no Brasil?

Daniel Balaban - Não, porque lá o estimulo é pequeno, durante muito tempo os pequenos agricultores que havia acabaram saindo do campo com destino para as grandes cidades, porque não havia incentivos as esta pessoas para elas desenvolvessem políticas públicas, a idéia é que eles vejam essas políticas públicas por aqui e possam colocar em prática nos seus países, destacou o representante do Centro de Desenvolvimento em Excelência da ONU no Brasil Daniel Balaban.




DELEGAÇÕES ESTRANGEIRAS FICAM IMPRESSIONADAS COM A PRODUÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR EM IRARÁ

Por Clóvis Gonçalves

Na manha desta terça-feira (25/11) o município de Irará na Bahia realizou na Praça da Matriz o cerimonial para receber as visitas dos seus anfitriões três delegações internacionais, sendo duas de países do continente africano,Camarões e Zimbábue, e uma do continente asiático, Laus, tinha também pessoas de outros países, Estados Unidos, e  Itália, essas  delegações estavam acompanhadas por dois interpretes. Os visitantes deixaram Salvador em três Vans pela BR 324 e a BA 084 com destino a Irará, as delegações estavam acompanhada do representante do Centro de Desenvolvimento de Excelência da ONU no Brasil Daniel Balaban, e a baiana Albaneide  Peixinho, Coordenadora Nacional de Alimento Escolar do FNDE, os visitantes foram recepcionados ao estilo africano, com muita música, samba de rodas da comunidade da Olaria, banda Purificaê do mestre Deny, a academia de capoeira Jovem Brasil do mestre Balbino.

O objetivo principal desta visita é iniciar o diálogo entre o Centro de Excelência e os países africanos e Asiático, promover o intercambio e as lições aprendidas com o Brasil na aplicação das políticas públicas para a redução da fome através do Programa da Agricultura Familiar, proporcionando as delegações que tenham uma visão das políticas brasileiras e  suas estratégias nacionais na sua estrutura institucional de segurança alimentar.
A cerimônia teve inicio com a execução do Hino Nacional e o hasteamento das bandeiras do Brasil, Bahia, e de Irará, em  seguida os pronunciamentos do gestor municipal Derivaldo Pinto (PT) e do representante do Centro de Excelência da ONU no Brasil Daniel Balaban, presentes a sociedade cívil, vários secretários de governo, a delegada da Polícia Civil Drª Edleusa Suely Ramos, o Ten-PM Subcomandante da 5ª CIA/Irará Leandro Maciel. 

Depois dos pronunciamentos, as delegações realizaram visitas de campo, foram ciceroneados pela técnica agrícola e funcionária da EBDA, srª Lucimara Santos Silva do escritório de Irará, foram na comunidade do Candeal  Moura na zona rural do município de Irará onde tem a aplicação do programa da agricultura familiar mais desenvolvido, visitaram as instalações de uma casa de farinha, puderam conhecer como é realizado o processo da produção da farinha, visitaram também duas cozinhas comunitárias do Candeal e ficaram impressionados como os produtos oriundos da agricultura familiar são tão bem utilizados principalmente na merenda escolar.

Ouviram atentamente as explicações dos produtores que trabalham com produtos derivados da mandioca, vindos da agricultura familiar, desde da colheita, até a fase final da comercialização,  em seguida foram visitar as crianças da creche Maria Eulália, localizada no centro urbano da cidade, constataram que o self-servece, servido  para aquelas crianças menores de três anos,   são produtos vindo do programa da agricultura familiar, do município de Irará. 

Após o almoço na Escola Municipal São Judas Tadeu situada no perímetro urbano, foram para visitar a Escola Família Agrícola na comunidade da Boca de Vázea, zona rural de Irará, foram recepcionados no Auditório Jaíro Cerqueira Martins (Jairinho em memorí) por alunos e professores,os visitantes  sempre atentos a todos os detalhes, através dos seus interpretes foram feitos vários questionamentos, eles queriam saber por exemplo se o diploma expedido pela escola agrícola era oficial, após formados se os alunos aplicariam os seus conhecimentos a serviço das comunidades onde eles moram, se havia investimentos público para o desenvolvimento da grade curricular, e vários outros questionamentos foram feitos pelos membros das delegações que foram respondidos por alunos e professores, conheceram a técnica de como fazer a  horta de verão, depois foram visitar as instalações da escola encerrando assim a visita.
Embarcaram nas vans e partiram com destino Salvador onde cumprirá ainda a  programação até o dia 28 de novembro, em Brasília as delegações ficarão de 1º até o dia 5 de dezembro. Matéria original blog Clóvis Gonçalves de Irará.    

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

SANTO ESTEVÃO: PM RECÉM PROMOVIDO É MORTO POR BANDIDOS EM ASSALTO A LOTÉRICA

Por Clóvis Gonçalves
Ronaldo Pinho de Almeida, 44 anos, o Cabo PM Pinho foi morto na tarde de segunda-feira (24/11) ingressou nas fileiras da Policia Militar do estado da Bahia em 1992, foi promovido a cabo há pouco menos de 15 dias.

Infelizmente, houve um assalto em casa lotérica localizada na Avenida Castro Alves, no centro da cidade de Santo Estevão praticado por quatro homens desconhecidos que estavam em duas motos de placa não divulgada, que reconheceram o policial militar, ele   estava a paisana, o Cabo-PM Pinho entrou na lotérica para realizar um pagamento de algumas contas quando foi baleado nas costa e na virilha, ele foi socorrido mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito ao dar entrada na emergência do EMC em Feira de Santana, o cabo Pinho trabalhou vários anos na cidade de Itatim.


Segundo as imagens de um vídeo divulgado, no salão de espera da casa lotérica haviam dois homens usando camisas vermelha e boné que estavam dando cobertura,quando o militar entrou na lotérica percebeu que havia um assalto em curso tentou sair e foi agarrado pelos bandidos do apoio, o militar sacar a arma, demorou em razão de uma das suas mãos estar ocupada com o capacete, foi quando o bandido efetuou os disparos das suas armas que resultou atingindo o militar e mais duas pessoas que estavam no local. Matéria do blog Clóvis Gonçalves de Irará/Foto Correio da Cidade.

SANTANÓPOLIS-BA: POLICIAIS CIVIS E MILITARES CUMPREM MANDADO DE PRISÃO POR ESTUPRO

Por Clóvis Gonçalves


Na manha desta segunda-feira (24/11) policiais civis e militares abordo da viatura Sierra 16 do Destacamento da Policia Militar (DPM) sediado no município Santanópolis que pertence ao 16º BPM de Serrinha efetuaram  a prisão de Jonas Lima, contra ele havia um mandado em aberto expedido pelo juiz substituto Dr. Raphael Leite Guedes quem também responde pela vara de crimes da Comarca do município de Irará. Jonas Lima é acusado de estuprar a própria irmã, 20 anos no dia 10 de agosto de 2014 de acordo com os resultados dos exames periciais realizados confirmaram o crime de estupro, a vítima teve a sua identidade preservada.
Jonas Lima, disse ao repórter Clóvis Gonçalves da rádio Irará FM e deste blog quando chegou na delegacia que estava trabalhando no Morro de São Paulo no município de Valença na Bahia e neste período em que esteve sendo considerado foragido da justiça, ele confirmou também para o repórter que não reconheceu  no momento do estrupo a própria irmã em razão de ingerido bebida alcoólica e usado drogas, ele quando participava de uma festa no povoado onde ele morava com a irmã e outros familiares, o fato aconteceu na residência da vítima na localidade da Queimada Grande, na zona rural de Santanópolis. A irmã e vítima fez a denuncia contra o acusado. Jonas Lima foi preso na residência na localidade do na Fazenda Quilombo área rural do município de Irará e não esboçou reação.

A partir de agora ele é preso da justiça, e ficará custodiado no presídio de Serrinha aguardo a decisão da justiça para o seu destino, a sua transferência será realizada por viaturas da PM em razão da delegacia da policia civil de Santanópolis não possuir celas e viaturas policial para realizar diligências e transporte de presos. (Matéria original do blog Clóvis Gonçalves de Irará.)  

EM ENTREVISTA,ESPECIALISTA EM DIREITO DO CONSUMIDOR ORIENTA QUEM SE SENTIREM PREJUDICADOS PELA FALTA D' ÁGUA

Por  Clóvis  Gonçalves
Dr. Armando Vilas Boas
Em decorrência das sucessivas reclamações da falta de abastecimento de água em diversas partes do município de Santo Estevão, o Correio da Cidade consultou o advogado Luiz Armando Vilas Boas Junior, especialista em Direito do Consumidor para falar como as pessoas que se sentirem prejudicadas com os serviços prestados pela EMBASA – Empresa Baiana de Águas e Saneamento podem requerer na Justiça os danos causados.

De posse das perguntas mais freqüentes de leitores do Correio da Cidade fomos até o escritório Vilas Boas – Advogados e Associados e  gentilmente fomos atendidos por Dr. Luiz Armando.

Leia a entrevista completa:

Dona Lucia Carmo Fiuza tem 47 anos e há mais de 60 dias não sabe o que é água potável caindo nas torneiras de sua casa, situada entre as comunidades rurais de Pedra Branca e Paiaiá, todas em Santo Estevão. Por diversas vezes ela procura socorro indo ao escritório local da EMBASA mas não tem obtido nenhuma solução. Dr. Luiz Armando, assim como dona Lúcia inúmeros consumidores estão vivendo o mesmo drama. O que eles devem fazer nestes casos?
Dr. Luiz Armando - Primeiro queria esclarecer que a Justiça não socorre aos que dormem. Tenho sido consultado constantemente acerca dos abusos cometidos pela empresa EMBASA aos consumidores do nosso município. O consumidor ao firmar contrato com a EMBASA, surge obrigações entre as parte, quais sejam: a EMBASA de fornecer água de boa qualidade além de prestar um serviço continuo, sem qualquer interrupção, seja por uma dia e, do consumidor a obrigação de pagar as contas pela quantidade correta da água consumida. Se a EMBASA não cumpre religiosamente as obrigações assumidas poderá ser acionada na Justiça pelo consumidor para reaver os prejuízos suportados. Esse é o entendimento da Lei 8.078 de 11 de setembro de 1990, ART. 22 do Código de Defesa do Consumidor.

“Contas não param de chegar mesmo pra quem não tem água nas torneiras”
Salustiano Pereira Ramos reclama que há cerca de 90 dias não tem água nem em sua residência, muito menos em seu bar que ficam situados na fazenda Junco. Seu Salustiano vem recebendo as contas de água normalmente, como se estivesse tendo o serviço regularmente. Nesses casos, o que fazer?

Dr. Luiz Armando – Os consumidores muitas vezes recebem cobranças (faturas) da EMBASA sem ao menos cair em suas residências uma gota de água, ou recebem de modo irregular a água além de receberem cobranças exorbitantes. Tanto em um caso como no outro, continua a EMBASA prestando um serviço de baixa qualidade, nascendo assim o direito do consumidor de reclamar na Justiça a devolução do dinheiro pago indevidamente, bem como indenização moral.

“Pagando o ar ao invés de água”
Edvanda Dias Cerqueira se assustou quando recebeu o aviso de cobrança da EMBASA no mês de agosto desse ano. Ela, que sempre pagava o equivalente à R$ 2º mensais pela água da EMBASA, se assustou ao abrir o recibo no valor de R$ 1.454,32. Ela não teve condições de pagar e teve seu nome negativado nos órgãos de proteção ao crédito.

Dr. Luiz Armando – Infelizmente esse aspecto é praticado pela empresa EMBASA de forma costumeira, muitas vezes o consumidor paga AR por ÁGUA. O consumidor poderá observar que quando falta água nas redes públicas, cria-se uma massa de ar no interior da tubulação e quando retorna o fornecimento de água, aquela massa de ar é empurrada pelas tubulações passando pelo hidrômetro do consumidor fazendo girar incontrolavelmente o medidor, resultando assim uma cobrança de AR por ÁGUA, tópico inclusive que deve ser ressaltado em uma reclamação na Justiça pelo consumidor, por ser uma cobrança abusiva.

"Lata de água na cabeça"
A aposentada Josefa Silva dos Santos tem 65 anos de idade e possui sérios problemas de coluna. Inclusive ela tem um laudo médico em mãos que comprova esse problema, mas mesmo assim, por falta dágua ela tem que andar quase 2km todos os dias até um riacho para pegar água que é usada no banho e para lavar pratos. Não bastasse a distância e o transtorno, a aposentada ainda se depara com um rio cheio de sapos, insetos e animais mortos, fatores que comprometem ainda mais sua saúde. Qual conselho o senhor daria para dona Josefa, bem como para tantos outros consumidores que vivem dram semelhante ao da aposentada?

Dr. Luiz Armando - Infelizmente, situações como essas estão sendo comuns com o descaso da EMBASA. Levando em consideração que a água é um líquido essencial a sobrevivência, muitos consumidores para saciarem suas necessidades enveredam para capitarem água em tanques, lagoas, rios etc, água esta de baixa qualidade, por conta de que a EMBASA não forneceu de forma contínua a água potável para o consumidor, contraindo este ou estes consumidores diversos tipos de doenças. Nestes casos, provado na Justiça o constrangimento suportado pelo consumidor, também fará jus a uma indenização. 

"EMBASA não se comunica com os consumidores"
Todas as vezes que nossa reportagem entra em contato com a EMBASA sempre há uma argumentação já meio padrão: “Estamos investindo mais de R$ 28 milhões na melhoria do sistema e o que acontece é que em algumas localidades o sistema é interrompido para manobras ou manutenção”. Essas manutenções de serviços essenciais como a água potável pode ser feita sem aviso prévio?

Dr. Luiz Armando - A manutenção de redes que alega fazer a EMBASA, para justificar sua ineficiência é puramente descabida e imoral. Prever determinações legais que a EMBASA ao proceder qualquer tipo de manutenção nas redes públicas deverá impreterivelmente comunicar a todos consumidores da região em que for fazer a manutenção com antecedência, comunicação esta que deverá ser feita através de jornal impresso, eletrônico (sites, blogs), carro de som, rádio, carta ou qualquer outro meio que chegue ao conhecimento do consumidor. Infelizmente o que notamos é que a EMBASA em nosso município age de maneira irresponsável, criando manobras para justificar sua ineficiência.
Qual sua orientação então para os consumidores que se sentem lesados com a prestação do serviço?



Dr. Luiz Armando - Continuo orientando a todos consumidos que se sentem prejudicados pela má prestação dos serviços a que foi obrigado a EMBASA, a procurarem a justiça através de seus advogados de sua confiança para serem ressarcidos de eventuais constrangimentos e prejuízos suportados.  (Correio da Cidade)