sábado, 19 de abril de 2014


PUXADORES  FAZEM MAIS UMA VÍTIMA PRÓXIMO DA RODOVIÁRIA


Por Clóvis Gonçalves 19/42014


Foto Divulgação
 Mais um sábado dia de feira livre em Irará, e também mais veículo roubado quase sempre na mesma área, desta vez a vítima dos puxadores foi João Suzart da Silva, residente na Fazenda Britas II,zona rural do município de Irará, ele esteve na sede da 5ª CIA/Irará da Polícia Militar informando aos policiais que ao deixar o seu veículo Volks Wagen, modelo Gol Bola de cor preta, ano de fabricação 2002, placas policial JPH 2551 licença de Irará, nas proximidades do Terminal Rodoviário de Irará.

Segundo ainda informou o proprietário, que às 10h00 deixou o carro estacionado, e deslocou-se para realizar algumas compras na feira livre da cidade, e ao retorna por volta das 12h00 não mais encontrou o veículo no local.


A central de Operações Policiais deu alerta para as outras unidades das cidades vizinhas, enquanto a guarnição na viatura Falcão 61 sob o comando do Sargento Alex realizaram várias buscas no intuito de localizar o veiculo e efetuar a detenção dos seus ocupantes,mas sem sucesso, o fato  aconteceu neste sábado (19/4).

Morre o narrador Luciano do Valle, aos 70 anos
Por Clóvis Gonçalves 19/4/2014
Jornalista da Band passou mal durante viagem de avião entre São Paulo e Uberlândia
                                          Luciano do Valle iria cobrir o jogo entre Atlético Mineiro e Corinthians, em Uberlândia 
O narrador esportivo Luciano do Valle morreu na tarde deste sábado, aos 70 anos. Ele passou mal durante uma viagem de avião entre São Paulo e Uberlândia, em Minas Gerais. Socorrido no aeroporto da cidade mineira, ele foi levado ao hospital Santa Genoveva, mas não resistiu. A causa da morte ainda não foi confirmada. O corpo é aguardado no Instituto Médico Legal (IML) do município.
Luciano do Valle viajava a Uberlândia para narrar o jogo entre Atlético-MG e Corinthians, que acontece no domingo no Estádio Parque do Sabiá, pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro. 
Biografia — Luciano do Valle nasceu na cidade de Campinas, no interior de São Paulo, em 1947. Ele começou a carreira profissional aos 16 anos como locutor na Rádio Educadora, ao lado do radialista Lombardi Netto. Também trabalhou na Rádio Brasil de Campinas antes de ser convidado pelo locutor esportivo Pedro Luís Paoliello para atuar na Rádio Gazeta. 

Em 1970, o narrador cobriu a Copa do Mundo do México, onde narrou a vitória do tricampeonato brasileiro. Luciano do Valle acompanhou os Jogos Olímpicos de Munique em 1972 e a Copa da Alemanha, em 1974, quando trabalhava na rádio Globo.
No final da Copa do Mundo de 1982, transferiu-se para a TV Record e, pouco tempo depois, foi apresentar o programa Show do Esporte, na TV Bandeirantes. O locutor foi um dos responsáveis pela popularização de modalidades como vôlei, Fórmula Indy e jogos da associação norte-americana de basquete profissional.
O jornalista estava se preparando para narrar mais uma Copa do Mundo, um ano depois de completar 50 anos de carreira. (Veja)

NESTE SÁBADO, O DESFECHO DA PRISÃO DE MARCO PRISCO

Por Clóvis Gonçalves 19/4/2014




O Ministério Publico Federal, informou em nota distribuída pela manha deste sábado (19/4) que qualquer recurso contra a prisão preventiva por 90 dias de Marco Prisco, será encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF), o advogado do vereador, o Dr.Vivaldo Amaral informou que vai entrar com um pedido de relaxamento de prisão na tarde de deste sábado, disse ainda o advogado que não sub existe a necessidade de se manter custodiado o vereador Prisco, a sociedade está pacificada, na avaliação do advogado não teria porque decretar a prisão preventiva ou cumprir esse mandado de prisão no dia de ontem (sexta-feira).

 A Secretaria de Segurança Pública informou que não participou da ação, e não existe nenhum pedido para o cumprimento da prisão de Prisco no estado da Bahia, e que vai cumprir todos os acordos firmados com os policiais militares.
Em protesto contra a prisão de Marco Prisco, cerca de 150 policiais militares ficaram em frente a Câmara Municipal de Vereadores de Salvador,na Praça Municipal.

Em nota o comando da PM orientou que os policiais se mantivessem em seus postos, homens da Força Nacional de Segurança continuam patrulhando a cidade, já na segunda maior.

O Capitão Tadeu Fernandes depois de solicitar o aquartelamento dos policiais ontem a noite, voltou atrás, deu última forma na manha deste sábado(19/4) o capitão disse que a decisão foi tomada depois de fazer consulta as sete Associações dos Policiais Militares da Bahia, segundo o Capitão uma pressão da tropa poderia agravar a situação de Marco Prisco, Já o presidente da Força Invicta, o Tenente Coronel antes de embarcar para Brasília em um vídeo solicitou para que os PMs não parem de trabalhar.

 NO INTERIOR DO ESTADO DA BAHIA


A cidade de Feira de Santana amanheceu com o clima um pouco tenso, ontem a noite cinco pessoas forma assassinadas em um intervalo de três horas,entre as vítimas um adolescente de 16 anos, também um caixa eletrônico foi explodido durante a madrugada de sábado (19/4) às 3 horas no bairro Cidade Nova em Feira de Santana, segundo os moradores 4 homens chegaram em um carro e usaram dinamite para explodir o caixa eletrônico , a polícia ainda não tem pista dos criminosos e nem tem informações se havia dinheiro no caixa eletrônico, hoje pela manha a movimentação estava um pouco mais tranquila no centro da cidade,policiais militares circulam pelas ruas, e ontem a noite homens da Força Nacional de Segurança desembarcaram em Feira de Santana para reforçar a segurança, eles irão ficar em Feira por tempo indeterminado,alguns policiais estavam mobilizados no prédio da Associação durante a manha de hoje e eles queriam continuar a greve, mas ainda pela manha houve uma reunião com o comando da Policia Militar e decidiram que não vão parar as atividades, portanto todo o efetivo da policia militar trabalhar normalmente em Feira de Santana, mesmo assim aconteceram cinco homicídios durante a noite e um latrocínio que é o roubo seguido de morte.

Em Itabuna o comércio funcionou normalmente na cidade grapiúna, muita gente aproveitou o dia de sol para ir ao centro da cidade várias viaturas form vistas pala população fazendo o policiamento, os policiais em Itabuna descartaram a possibilidade de paralisação na cidade.

No oeste do estado, na cidade de Barreiras, os policiais trabalhavam  normalmente, pelo menos no período da manha, o comando da polícia na região, informou que o número de policiais está menor nas ruas por causa do feriado prolongado, em Vitoria da Conquista estava mantida a normalidade, no centro da cidade o movimento de pessoas foi grande, já na região norte em Juazeiro mesmo com menos pessoas neste sábado (19/4)também foi normal nas ruas do perímetro urbano da cidade, os comerciantes mantevem as portas abertas.  (TVBahia) 


      

CAPOTAMENTO NA BOA VISTA

IRARÁ - Às 16h10min, desta quinta-feira (18/4),quando trafegava na estrada vicinal no sentido do município de Pedrão para o distrito de Bento Simões em Irará, ocorreu o capotamento do veículo AGLE LTZ  placa policial NTJ8766 licença de Irará, conduzido por Vivaldo Martins Macedo 53 anos residente em Irará,segundo apuração inicial pelos policiais militares da 5ª CIA que estavam na viatura Falcão 61 o motorista perdeu o controle da direção do veículo subindo em barranco vindo a capotar deixando apenas danos materiais.

João Paulo de Oliveira Santos, residente na Fazenda Boca de Vázea,zona rural do município de Irará,informou a Central de Operações da 5ª CIA Polícia Militar em Irará que da sua residência foi furtada uma moto Honda de cor preta,modelo Broz placa policial NTL 4159 licença de Feira de Santana.


ARAMARI- Robson Santos silva, 28 anos residente no mesmo município onde ocorreu o acidente, foi conduzido para o hospital Dantas Bião em Alagoinhas, quando ele sofreu uma queda de motocicleta, Honda, modelo CG 125 preta, placa policial DHZ 0589 licença de da cidade de Cotia São Paulo, em razão do acidente, Robson teve um dos braços quebrado, segundo avaliação feita pela a equipe do atendimento de emergência do SAMU 192 de Alagoinhas que realizou os primeiros atendimentos no local do acidente, o veículo estava sendo conduzido pela vítima.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

"O ídolo  dele era o pai", afirma antigo vizinho

Clóvis Gonçalves 18/4/2014

                                                        Bernardo com o casal em sua primeira comunhão em janeiro deste ano
Dócil, meigo, inteligente e vidrado no pai”. É assim que o menini Bernardo Boldrini, de 11 anos, encontrado morto nesta segunda-feira no interior do Rio Grande do Sul, foi descrito pelo casal que o acolhia pelo menos duas vezes por semana nos últimos anos. À Justiça gaúcha, Bernardo chegou a manifestar o desejo de ser adotado por Carlos José Petry e Juçara Ribeiro Petry, antigos vizinhos de sua família em Três Passos (RS). Segundo o casal, porém, o sonho de Bernardo era receber atenção do pai, o médico cirurgião Leandro Boldrini. Órfão da mãe, morta em 2010, Bernardo morava com o pai e a madrasta, Graciele Boldrini. Os dois estão presos, suspeitos do crime, assim como a assistente social Edelvania Wirganovicz, amiga deles. O pai nega.

“O ídolo dele [Bernardo] era o pai. Ele passava bastante tempo conosco, por isso nos indicou para cuidarmos dele. Mas quem ele queria mesmo era o pai”, disse Petry ao site de VEJA.
No fim do ano passado, Bernardo procurou a Justiça gaúcha para relatar que não recebia afeto do pai e que era agredido verbalmente pela madrasta. Em audiência com o juiz, o pai reconheceu que passava muito tempo no trabalho e propôs uma reconciliação com o garoto. Segundo Petry, o garoto ficou "irradiante, muito feliz" com a possibilidade de reaproximação. “Às vezes, ele chegava a nossa casa e dizia que o pai estava muito ocupado, salvando vidas no consultório”, relata Petry.
O empresário e sua esposa, donos de uma confecção no interior gaúcho, conheciam Bernardo desde pequeno. Eles acompanharam o crescimento do menino, desde a época em que a mãe dele, Odilaine Uglione, era viva. Ela morreu com um tiro na cabeça em fevereiro de 2010. O inquérito policial concluiu que ela se suicidou aos 32 anos.
“Quando a mãe morreu, ele se afastou um pouco da gente. Ela cuidava muito bem dele. Mas depois ele voltou a frequentar nossa casa. Passava pelo menos dois dias por semana com a gente”. Quando não estava estudando, Bernardo gostava de passar o tempo livre cozinhando com Juçara. “Ele a acompanhava em todo lugar. Ficavam preparando pães e bolos na cozinha. Às vezes, eu também o levava para pescar”, disse Petry.
Chocado com a tragédia, Petry diz não se conformar com o que aconteceu e evita acusar alguém pelo crime. “Ele nunca falou mal dos pais. Só dizia que o pai estava sempre trabalhando”, disse. O casal acompanhou Bernardo em sua primeira comunhão em janeiro deste ano. O pai não estava presente. Uma foto em que aparece o menino com o casal na igreja foi publicada no perfil do Facebook de Bernardo.
Morte – Na última semana, o garoto foi dado como desaparecido pelo pai. A Polícia Civil passou a investigar o paradeiro e chegou à assistente social Edelvania Wirganovicz, que apontou o local onde haviam enterrado a vítima, um matagal próximo a um riacho em Frederico Westphalen (RS), a 80 quilômetros de Três Passos. Depois disso, os investigadores encontraram indícios de que a madrasta e a assistente social estiveram com o menino na cidade em 4 de abril – mesmo dia de sua morte, segundo a certidão de óbito.
O crime chocou a pequena cidade de Três Passos. Nesta quarta-feira, a casa, onde morava o garoto com o pai e a madrasta, amanheceu com cartazes pendurados no portão. Neles, estavam escritos mensagens de solidariedade e pedidos de justiça.
“Nós até agora não entendemos o que aconteceu. Perdemos alguém que amávamos muito. O que podemos dizer agora é que com a gente Bernardo era muito amado”, disse Petry.(Veja)


O outro esqueleto da Petrobras em Pasadena
Por Clóvis Gonçalves 18/4/2014
Empresa de fabricação de asfalto foi criada nos Estados Unidos em 2010, mas nunca vingou
Área do terreno adquirido pela Petrobras para ampliar Passadena
 Da operação da Petrobras em Pasadena, no Texas, uma parte ainda está bem guardada. Quando o litígio entre a estatal e a sócia belga terminou, um terreno comprado pela Astra foi herdado pela empresa brasileira. Trata-se de uma fábrica de papel falida chamada Pasadena Paper — tão centenária quanto a própria refinaria. A Petrobras tinha a intenção de usar o local para a ampliação da planta de refino. A ideia era aumentar a capacidade de processamento de 100 000 barris diários para 200 000. Junto com o projeto, a estatal aprovou a criação de uma nova empresa a ser instalada no local: a Petrobras Asphalt, que fabricaria asfalto como subproduto do petróleo processado em Pasadena. A empresa foi registrada no banco de dados do estado do Texas em 8 de janeiro de 2010. Mas sua atuação foi fulminante. No início de 2013, já estava fora de operação.
Não há registros da atuação da Asphalt em Pasadena. Sua área, assim como o restante do terreno da empresa de papel, integra um elefante branco na cidade e funciona meramente como galpão de estocagem de insumos da refinaria. A Petrobras jamais comunicou aos seus acionistas sobre a criação da nova empresa e tampouco o que pretendia com ela. Comandada pelo então gerente da área de asfalto da BR Distribuidora, Jorge Paulo Moro, a Asphalt tem em seu DNA as digitais de Nestor Cerveró e seu sucessor na diretoria internacional, Jorge Zelada. À época da criação da empresa, Cerveró era diretor financeiro da BR, o único braço da estatal ligado a projetos de asfalto. Foi ele que chancelou a indicação de Moro, funcionário de carreira da estatal, para liderar o negócio. Outra indicação foi a de Sócrates José Marques da Silva, assessor de Zelada, que também assinou pela criação da empresa.
Da mesma forma que o projeto de expansão da refinaria nunca vingou, a Petrobras Asphalt também foi sepultada. Com a chegada de Graça Foster à presidência da estatal, não só a diretoria internacional viu seu poder minguar, como os projetos que estavam sob sua batuta também foram congelados. O quanto a Petrobras gastou para criar a estrutura da Asphalt nos Estados Unidos ainda é um mistério. Contudo, apenas para implodir um prédio localizado no terreno da empresa de papel e assim usá-lo para seus próprios interesses, a estatal injetou 10 milhões de dólares, por meio da refinaria de Pasadena.
Em 2013, a Asphalt deixou de operar e seus funcionários voltaram ao Brasil. No pouquíssimo tempo em que funcionou nos EUA, a única coisa que acumulou foram duas ações na Justiça, das quais é ré. Ambas alegavam terem contratos firmados com a empresa brasileira, cujos pagamentos não foram honrados. Para escapar das penalidades, a empresa tem alegado que está em processo de dissolução e não pode arcar com nenhuma penalidade financeira. (Veja)



PF PRENDE VEREADOR LÍDER DE GREVE DA PM NA BAHIA

Por Clóvis Gonçalves 18/4/2014



Marco Prisco
A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira o vereador tucano Marco Prisco, líder dos policiais militares grevistas na Bahia. Prisco foi detido em um resort na Costa do Sauípe, litoral baiano. O parlamentar foi transferido imediatamente para o Complexo da Papuda, em Brasília. Além de vereador em Salvador, Prisco é diretor-geral da Associação de Policiais e Bombeiros da Bahia (Aspra), uma das entidades que organizaram as paralisações da PM neste ano e em 2012 – após a qual Prisco se elegeu. Policiais agora ameaçam retomar a paralisação que havia sido encerrada nesta quinta-feira, após acordo com o governo estadual. 

A pedido do Ministério Público Federal (MPF), o juiz Antônio Oswaldo Scarpa, da 17ª Vara Federal em Salvador, expediu o mandado de prisão preventiva contra Prisco no dia 15 de abril – antes, portanto, de os praças da PM firmarem acordo com o governo Jaques Wagner (PT) para dar fim à greve. Em nota, o MPF afirmou que o objetivo da prisão preventiva de Prisco é "garantir a ordem pública". Ele é réu, desde o ano passado, em ação penal por formação de quadrilha armada e crime contra a Segurança Nacional.
O MPF denunciou Prisco e outros seis militares (entre soldados e cabos), em abril de 2013, por crimes cometidos durante a greve de 2012, às vésperas do Carnaval. Segundo os procuradores, Prisco ganhou notoriedade e obteve benefícios eleitorais com a greve de 2012. Ele havia se candidatado a deputado estadual em 2010 pelo PTC, mas não conseguiu se eleger.
Para garantir a segurança de Prisco, o juiz decidiu que o réu deve ser mantido em presídio federal, em unidade de segurança máxima, por até noventa dias – por isso, ele teve de ser levado para a Papuda. A prisão de Prisco teve auxílio da Polícia Rodoviária Federal e da Aeronáutica, que cedeu a base área para a decolagem do avião que transportou o tucano para Brasília. Como é acusado de cometer crime político, Prisco terá de recorrer ao Supremo Tribunal Federal.
O parlamentar tucano, assim como as associações de PMs organizadoras da greve e seus dirigentes, teve os bens bloqueados por determinação do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. O tribunal havia determinado o fim imediato da greve e estabelecido multa de 1,4 milhão de reais, caso o movimento prosseguisse. Os grevistas da PM e o governo do Estado fecharam acordo e encerraram a paralisação nesta quinta-feira. Uma dos pontos do acordo era a anistia, no âmbito da corporação, de faltas administrativas leves cometidas durante os dois dias de paralisação. Os grevistas também exigiram que o Comando-Geral da PM reveja os processos administrativos disciplinares instaurados após a greve de 2012.
Nova greve – Após a captura de Prisco pela PF, o deputado estadual capitão Tadeu Fernandes (PSB) publicou nota de repúdio e acusou o governo baiano de "traição". Fernandes disse que o vereador tucano "assinou o acordo para encerrar a greve contrariando parte da tropa" e que "o governo mais uma vez trai a boa vontade dos policiais e bombeiros militares e manda prender Prisco". "Neste momento, por exigência dos policiais e bombeiros militares, saio da condição de moderador do movimento reivindicatório e assumo a liderança do mesmo. Conclamo toda a tropa para suspender as atividades imediatamente até que o governo providencie a soltura de Prisco", escreveu o deputado – embora caiba à Justiça Federal, não ao governo do Estado, decidir sobre a prisão ou soltura do réu.
Em nota, a Secretaria da Segurança Pública disse que "assegura o cumprimento de todos os itens do acordo firmado com as associações representativas da Polícia Militar". A pasta